Sem categoria

Mulheres que pensam o Argentina na Antologia CLACSO de 2015

Este texto compõe o projeto: Mulheres que pensam o desenvolvimento na América Latina:  Contribuições presentes nas Antologias do Pensamento Social Latino-Americano e Caribenho publicadas pelo Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais no período de 2015 a 2017. O objetivo foi o de mapear as contribuições das mulheres ao pensamento social regional latino-americano e à teoria do desenvolvimento regional presente na Antologia do pensamento crítico argentino contemporâneo publicada pelo CLACSO em 2015 (CAGGIANO; GRIMSON, 2015).

Na sequência, caracterizamos as autoras e seus temas, analisamos os artigos que contemplam a discussão sobre gênero, pensamento social, desenvolvimento e região. De 20 artigos publicados na Antologia do pensamento crítico argentino contemporâneo 15 são escritos por homens e cinco artigos são escritos por mulheres. São elas: Alcira Argumedo, Mirta Zaida Lobato, Elisabeth Jelin, Dora Barrancos e Beatriz Sarlo (Figura 1).

Figura 1 – Antologia do CLACSO Argentina, fotos das autoras.

A formação das autoras é variada: Filosofia, Letras, História, Ciências Sociais e Sociologia (Quadro 1).

Quadro 1 – Autoras da Antologia do CLACSO Argentina e formação

NomeFormação
Alcira ArgumedoFilosofia e Letras
Mirta Zaida LobatoHistória
Elisabeth JelinCiências Sociais
Dora BarrancosSociologia
Beatriz SarloLetras

Fonte: Elaboração própria baseada em Caggiano e Grimson (2018).

Os artigos são todos da primeira década do século XXI e retratam temas a partir de referências do passado em sua atualidade (Quadro 2).

Quadro 2 – Antologia do CLACSO Argentina, autoras artigos e ano de publicação

AutoraTítulo do artigoAno de publicação
Alcira ArgumedoAs matrizes do pensamento teórico-político2004
Mirta Zaida LobatoHistória das trabalhadoras na Argentina (1869-1960)2007
Elisabeth JelinAs lutas políticas pela memória2012
Dora BarrancosTransição democrática e tropeço neoliberal: avanços (e alguns retrocessos) dos direitos femininos2007
Beatriz SarloIntelectuais2001

Fonte: Elaboração própria baseada em Caggiano e Grimson (2018).

Em relação aos temas selecionados (gênero, pensamento social e desenvolvimento regional) sintetizamos na sequência a contribuição das autoras:

Gênero

Lobato (2015) enfatiza o caráter histórico das diferenças de gênero, do exercício do poder e da dominação no mundo do trabalho. Ela acompanha a história da Argentina, de sua especialização produtiva regional e vai tecendo a relação desta com as relações de gênero. Eu destaco a ênfase que a autora dá ao processo de naturalização da desigualdade entre homens e mulheres.

Barrancos (2015) trata em seu texto do enfrentamento da diferença entre os sexos como parte dos cimentos autoritários que teriam de ser removidos. Ela aborda a Lei das Cotas, a relação das mulheres com a precarização do trabalho, a participação das mulheres nos movimentos sociais, direitos reprodutivos e direitos sociais, mostrando avanços, mas mostrando a luta por direitos como algo permanente.

Pensamento social

Argumedo (2015) vai tratar da relação entre pensamento social e projetos históricos e políticos. Para analisar as correntes de pensamento acadêmico-político é preciso adotar um ponto de vista integral que seja capaz de incorporar o pensamento social popular latino-americano.  

la filosofia, las ciencias sociales, la historia – se vertebran en marcos más amplios, en concepciones culturales y modos de percibir el mundo que les otorgan sus significaciones esenciales al margen de la especificidad y las características de cada una de sus áreas de estúdio. Como contracara, esta afirmación considera que es posible recuperar, sistematizar y reelaborar en términos de riguriosidad teórica, el pensamiento popular latino-americano que historicamente se ha manifestado bajo la forma del discurso político o como expresiones discursivas no académicas. (ARGUMEDO, 2015, p. 132).

Nesse movimento é preciso ser capaz de “develar los silencios de las corrientes hegemónicas en las ciencias sociales y de hacer emerger las voces de otros protogonistas de la historia.” (ARGUMEDO, 2015, p. 138). Me parece uma visão de pensamento social mais ampla e includente, trazendo elementos importantes para pensar a diversidade da América Latina.

Desenvolvimento regional

Argumedo (2015) trata da questão regional ao abordar o tema do pensamento social e projetos histórico-políticos. Segundo ela, o pensamento social hegemônico conta com modos de perceber o mundo de distintos setores do país ou região que se universalizam.

A perspectiva nacional e popular latino-americana recupera visões de mundo, saberes, memórias e experiências. “Se desarrolla a partir de esas otras ideas de América Latina ignoradas o despreciadas por las vertientes hegemónicas en los âmbitos académicos.” (ARGUMEDO, 2015, p. 147).

Lobato (2015) no seu texto sobre as trabalhadoras na Argentina reflete sobre o território nacional, mas ressalta que a reflexão sobre o trabalho na Argentina trata também as diversidades regionais.

Conclusões parciais sobre a Antologia do pensamento crítico argentino contemporâneo

Na composição da Antologia do pensamento crítico argentino são 15 homens e cinco mulheres. Como estamos tratando de temas específicos (gênero, pensamento social e desenvolvimento regional) tratamos das autoras que lidam com esses temas. Todos os cinco textos foram escritos na primeira década do século XX e abordam temas importantes nesse período: o pensamento social, intelectualidade, memória, luta por direitos e a questão de trabalho.

Alguns pontos podem ser destacados em relação os temas: (i) a desnaturalização da desigualdade e a efetivação dos direitos femininos como uma luta permanente; (ii) a abertura para o pensamento popular latino-americano para que outrxs protagonistas da história se coloquem; (iii) a região como espaço do diverso, mas considerando as desigualdades intra e inter-regionais, o perigo de uma elite regional exercer maior poder internamente e sobre as outras regiões sufocando o diverso.

Essas são, em síntese, as contribuições das autoras aos temas aqui abordados, ressaltando que a minha leitura é parcial. Considero que a contribuição dessas autoras é muito mais ampla do que o que foi tratado nesse pequeno texto e vale a pena conferir a Antologia como um todo para conhecer um pouco mais sobre o pensamento social crítico argentino.

Referências

ARGUMEDO, Alcira. Las matrices del pensamiento teórico-político. In: CAGGIANO, Sergio; GRIMSON, Alejandro (Coord.). Antología del pensamiento crítico argentino contemporáneo. Ciudad de Buenos Aires: CLACSO, 2015, p. 129-153.
BARRANCOS, Dora. Transición democrática y transpié neoliberal: avances (y algunos retrocesos de los derechos femeninos. In: CAGGIANO, Sergio; GRIMSON, Alejandro (Coord.). Antología del pensamiento crítico argentino contemporáneo. Ciudad de Buenos Aires: CLACSO, 2015, p. 245-267.
CAGGIANO, Sergio; GRIMSON, Alejandro (Coord.). Antología del pensamiento crítico argentino contemporáneo. Ciudad de Buenos Aires: CLACSO, 2015.
LOBATO, Mirta Zaida. Historia de las trabajadoras en la Argentina (1869-1960). In: CAGGIANO, Sergio; GRIMSON, Alejandro (Coord.). Antología del pensamiento crítico argentino contemporáneo. Ciudad de Buenos Aires: CLACSO, 2015, p. 177-194.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s